Mercado

Google Altera o Layout da Busca

Google Altera o Layout da Busca

O Google fez uma profunda pesquisa e publicou recentemente uma grande alteração nos resultados de busca desktop, esta mudança se aplica para todos os usuários. O buscador mudou a experiência para marcas e consumidores, removendo os anúncios do lado direito e adicionando um anúncio no topo da página (ampliando o total de três para quatro anúncios).
O layout da busca do Google costumava ser simples: resultados no meio da página e anúncios no lado direito. Há alguns anos, o mecanismo de busca começou a exibir alguns anúncios acima dos resultados de busca, e este teste funcionou muito bem para os anunciantes. Anúncios nessas posições recebem uma boa taxa de cliques, geram um tráfego mais valioso e, consequentemente mais dinheiro. No entanto, estas mudanças empurraram os resultados não-patrocinados, chamados de "orgânicos" para uma posição inferior da página.

A mudança desta semana removeu completamente os anúncios do lado direito e substituiu-os por um anúncio adicional no topo.

O que isso significa para as marcas?

Menos anúncios na página significa maior concorrência no leilão de anúncios do Google, e mais custos para as marcas. Esta mudança obriga também os anunciantes com boas colocações nos resultados orgânicos a investir em anúncios pagos para manter o seu volume de tráfego.

As empresas que dependem do Google para o tráfego, terão que equilibrar com muito cuidado o seu investimento, já considerando uma possível diminuição do tráfego que obtinham a partir de pesquisas orgânicas. Esta estratégia entre anúncios pagos e orgânicos deve ser primordial para garantir que eles atinjam os consumidores no momento certo, e de forma rentável.

O que isso significa para o Google?

O Google exibirá menos anúncios na página de resultados de busca, mas isso não representa uma ameaça, uma vez que o gigante das buscas é rentabilizado por clique, não por anúncio exibido. Nossa análise indica que anúncios acima dos resultados de pesquisa são clicados 14 vezes mais do que os do lado direito. Desta forma, faz sentido remover os anúncios da lateral direita e incrementar a parte superior da página com mais um anúncio - que aparecerá especialmente em buscas "transacionais", ou seja, quando detecta-se uma intenção de compra dos usuários.
Esta mudança afeta apenas computadores e tablets, deste modo, buscas em celulares não serão afetadas. O Google tem visto os custos por clique de desktop subindo muito lentamente ao longo dos últimos anos, e a crescente migração para o menor custo por clique no tráfego mobile ampliou o seu crescimento de receita. Esta mudança vai garantir que mesmo que o tráfego de desktop diminua com o passar do tempo, ele continue gerando receita.

O que isso significa para o consumidor?

Hoje, a maioria das pesquisas “transacionais” exibem geralmente um ou dois resultados de pesquisa "orgânica" dentro do primeiro scroll (sem dar rolagem). O Google diz que estas mudanças irão melhorar a relevância para os consumidores, mas é difícil determinar isto ainda. Anúncios pagos podem ser muito relevantes para pesquisas baseadas em compras, onde as marcas são cobradas por cada visita, exibindo apenas os melhores resultados; mas os anúncios podem ser vistos como menos confiáveis ​​e muitas vezes serão bloqueados pelos consumidores.

Baidu (o maior mecanismo de busca da China) preferencialmente já direciona os usuários para os resultados pagos, dizendo-lhes que estas empresas são mais confiáveis por seguirem políticas para anunciar, e que os demais resultados são totalmente automáticos e nunca mediados por humanos. Qualquer movimento como esse poderia representar um grande problema para o Google, cuja reputação se baseia em pessoas acreditando que os seus resultados “orgânicos” são precisos e confiáveis. Se as pessoas começam a ver esses resultados com menos frequência, o Google pode perder um pouco da confiança do consumidor?